fbpx
Twitter
Google plus
Facebook
Vimeo
Pinterest

Fluid Edge Themes

Blog

Home  /  Tecnologia   /  Descubra os 4 tipos de automação disponíveis no mercado

Descubra os 4 tipos de automação disponíveis no mercado

A administração empresarial — especialmente, em se tratando dos mercados atacadista, distribuidor e industrial — não é uma tarefa fácil e, provavelmente, nunca o será. Contudo, na era de transformação digital em que vivemos, a todo momento surgem novos métodos, soluções e tipos de automação que têm o objetivo de otimizar os processos e tornar a operabilidade menos complexa.

As possibilidades, cada dia mais, parecem infinitas. Os recursos dos quais você dispõe, a sua rotina e o cenário no qual o seu negócio está inserido são os fatores mais decisivos no que diz respeito ao que é mais aplicável ou não. No entanto, vale dizer que há alternativas tão diversas que o porte do empreendimento, por outro lado, não é um elemento determinante.

Diante disso, o mais recomendável é conhecer as opções disponíveis no mercado e o que as distinguem. Para ajudá-lo, nós elaboramos este post, em que elencaremos os principais tipos de automação e algumas de suas particularidades. Boa leitura!

Quais são os principais tipos de automação?

Antes de efetivamente listar os principais tipos de automação, vale a pena introduzir o seu conceito para facilitar o entendimento. Em termos bastante simples, é possível defini-la como o emprego de sistemas computacionais, tecnologias e bancos de dados, por exemplo, com o intuito de tornar as atividades cotidianas de uma organização automáticas.

Nesse sentido, a automação pode ser implementada na gestão, na prestação de serviços, em procedimentos relativos à produção etc. O propósito será sempre otimizar as tarefas mais maçantes e/ou burocráticas e também aquelas que representam algum risco de falha humana em potencial. A partir dessa compreensão, a seguir, abordaremos os tipos mais comuns.

1. Automação programável

Via de regra, os processos automatizados abarcados por essa categoria estão sob o controle de um sistema que consiste, basicamente, em um conjunto codificado de instruções a serem interpretadas. Caso haja total flexibilidade, é possível que softwares novos sejam utilizados, por exemplo, na produção de novos produtos. Além disso, é viável ajustar e reconfigurar os equipamentos a nível de hardwares e de softwares.

De forma mais simplificada, pode-se dizer que o equipamento é montado com essa capacidade de ajustabilidade conforme as alterações da sequência de produção — afinal, é possível que seja necessário modificar o produto final. O uso desse tipo de automação é recomendável para indústrias de produção reduzida, haja vista que a reprogramação da máquina para adaptá-la a criação de novos itens demanda tempo e envolve algum nível de complexidade.

Por essa razão, inclusive, a reprogramação acontece, em regra, no fim da produção de um lote.

2. Automação fixa

Contrapondo-se ao tipo anterior, a automação fixa se caracteriza pela alta rigidez da configuração dos equipamentos, o que pode ser muito conveniente — do ponto de vista econômico — quando se trabalha com uma produção de alto volume. Nesse caso, a máquina foi projetada para executar uma ação específica e repetitiva.

Ou seja, trata-se de processos que não são mutáveis, mas, em contrapartida, são precisos, céleres e seguros. Usualmente, a automação fixa é a mais indicada quando há uma variabilidade de trabalho baixo, como no caso de linhas de montagem de automóveis, por exemplo.

3. Automação flexível

É possível dizer que a automação flexível é uma espécie de “extensão” da programável, embora a sua conceituação exata esteja em estudo ainda, já que os níveis de decisão envolvidos podem abarcar toda a organização geral produtiva. Nesse tipo de automação, é possível que uma máquina seja configurada para se adaptar à produção de um novo produto em um intervalo curto de tempo.

Assim, a modificação da configuração de um item para outro é significativamente mais rápida e nem mesmo é preciso produzi-los em lotes separados. Em razão das suas peculiaridades, esse tipo é indicado para produções de volume médio.

4. Automação integrada

Entre os tipos de automação, a integrada é aquela na qual todos os processos — do design ao despacho, incluindo até o manuseio dos equipamentos — são operados por “robôs” de modo integrado, o que traz ganhos em excelência de produção e em economia. Por meio desses sistemas, torna-se viável adaptar a automação conforme as solicitações dos clientes, otimizando, dessa maneira, todas as operações.

Nesse sentido, alguns dos principais benefícios são a maior competitividade, a elevação da eficiência e o ganho em vantagem competitiva. Com o tempo, a tendência é que, futuramente, todos os tipos de automação acabem migrando para esse formato, de modo a ampliar o grau de interação entre os processos para viabilizar o atendimento das necessidades de cada modelo de linha de produção.

O que levar em consideração no momento de fazer a escolha da melhor opção?

Como cada tipo de negócio tem características muito próprias, nem sempre haverá uma aplicação única que funcionará perfeitamente para todos os nichos. No entanto, há que se destacar dois importantes aspectos que devem ser levados em conta no momento de decidir qual das alternativas disponíveis no mercado pode melhor atender às suas demandas, que são:

  • o nível de integração dos sistemas, afinal, quanto mais bem integrados forem os módulos de uma solução, menos riscos de falhas haverá;
  • as suas necessidades, pois os diversos tipos de automação disponibilizarão inúmeras funcionalidades, representando verdadeiros diferenciais para os seus níveis de produtividade. Contudo, é importante estabelecer um comparativo entre aquilo que será efetivamente útil para otimizar o cotidiano da sua empresa e o que é disponibilizado pelas soluções de automação.

Como dito, vivemos em uma era de transformação digital, de modo que, constantemente, surgem novas tecnologias que objetivam tornar os processos internos automatizados e, por conseguinte, otimizados. Embora, em um primeiro momento, acompanhar todas as tendências do mercado e avaliar o que, de fato, faz sentido segundo as suas necessidades possa ser trabalhoso, é imprescindível ser receptivo às inovações que vêm surgindo para preservar a operabilidade do negócio.

Do contrário, em curto a médio prazo, os impactos negativos sobre os seus resultados serão perceptíveis. Portanto, conte com uma empresa que ofereça soluções completas para automatizar os seus processos e ampliar a sua performance, potencializando a sua operabilidade de ponta a ponta, como a ION Sistemas.

Disponibilizamos variados módulos voltados aos mercados distribuidor, atacadista e industrial com a finalidade de não apenas elevar o seu número de vendas, mas também de possibilitar que você tenha total controle sobre o seu negócio. Quer entender de que forma podemos ajudá-lo com os diversos tipos de automação com os quais trabalhamos? Entre já em contato conosco e informe-se!

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!