fbpx
Twitter
Google plus
Facebook
Vimeo
Pinterest

Fluid Edge Themes

Blog

Home  /  Logística   /  Como otimizar o processo de logística para atacados e distribuidoras?
logística para atacados e distribuidoras

Como otimizar o processo de logística para atacados e distribuidoras?

Um dos maiores desafios da indústria neste cenário de disputa acirrada com grandes redes internacionais que chegam ao Brasil é otimizar o processo de logística para atacados e distribuidoras. Assim, a logística foi, ainda é e tende a ser cada vez mais um dos destaques do diferencial competitivo, representando até mesmo uma questão de marketing estratégico e fortalecimento da marca.

Para se ter uma ideia, os custos logísticos em 2017 representaram 12,3% do PIB brasileiro, enquanto nos Estados Unidos esses mesmos gastos equivaleram a 7,5% do PIB norte-americano no mesmo ano. Outro número impressionante, de 8,7% da receita líquida, é o que as empresas brasileiras destinam em média às despesas que envolvem a logística, incluindo custos com estoque, armazenagem e transporte.

Diante de estatísticas tão relevantes, preparamos este artigo para você entender como funciona a logística para atacados e distribuidoras, a importância de organizá-la e também para ressaltar os desafios dessa área. Assim, conheça as principais dicas para otimizar esse processo em seu negócio. Boa leitura!

Qual o conceito de logística para atacados e distribuidoras

Em sua definição básica, a logística consiste no processo de planejamento, implementação e controle do custo — de maneira eficiente — do fluxo, da armazenagem de matérias-primas e estoques durante a produção e também para produtos acabados.

Essa logística engloba ainda as informações inerentes a essas atividades, desde o local de origem até o consumo do item, com a finalidade de atender às demandas dos clientes.

De maneira simplificada, a logística para atacados e distribuidoras é a responsável por pegar os produtos que estão no estoque de itens acabados da indústria, organizá-los de maneira ordenada em um caminhão ou veículo e colocar em prática o planejamento de rotas que liga a produção ao destino final.

Portanto, ela representa a conexão entre todas as expectativas geradas pelos diferentes departamentos de uma empresa, sejam elas provenientes da produção, vendas, finanças, marketing, pesquisa e desenvolvimento ou todas as áreas que, em conjunto, têm um mesmo objetivo.

Como funciona a logística para atacados e distribuidoras

Na verdade, o papel da distribuidora é cumprir o pedido e deixar disponível a quantidade de mercadorias certa, no momento e no lugar certos. Da parte da empresa, é preciso otimizar processos para que as operações sejam lucrativas e rentáveis, mas isso é assunto para outro tópico, que abordaremos logo mais.

Para que tudo funcione conforme o planejado, é necessário conhecer e pôr em prática todas as estratégias do negócio. Devemos, então, considerar os métodos que o setor de marketing ou de vendas elaboraram para a logística de distribuição executar.

Assim sendo, é crucial seguir corretamente todas as etapas de atividades, bem como o conjunto de procedimentos e normas com a utilização de equipamentos adequados para uma boa execução.

Certamente, a logística para atacados e distribuidoras também conta com pessoas que trabalham tanto no depósito dos itens acabados quanto no carregamento dos caminhões.

Dessa forma, uma das principais funções dos funcionários envolvidos no processo logístico é acompanhar esses veículos até o próximo destino — normalmente, um centro de distribuição.

Por que organizar a logística para atacados e distribuidoras é importante

A importância de organizar o processo logístico está ligada ao fato que o profissional responsável por ele precisa estar absolutamente consciente do que é necessário fazer.

Isso porque se trata de uma operação extremamente estratégica para a fidelização dos clientes, ou seja, para que a empresa consiga atingir suas metas, obter ganhos de mercado com a redução de custos, aumentar o lucro e promover o crescimento da marca.

Em outra ponta, a logística para atacados e distribuidoras carrega atualizações que devem ser levadas para dentro da empresa. Logo, atualizações de grande importância para o marketing e para a própria produção, que os profissionais envolvidos na operação logística percebem no mercado, no contato com o cliente e até mesmo na concorrência.

Quais são os principais desafios da logística de atacado

São tantos os desafios para a logística de atacado distribuidor atualmente, que a tarefa de escolher alguns para refletir se torna até difícil. Contudo, isso é um bom sinal, pois é prova de que este mercado está aquecido e com tendência de crescimento.

Diante disso, as demandas por inovação e profissionalização só aparecem para os setores da economia que estão em expansão e desenvolvimento. Caso contrário, não há ameaças e tudo pode permanecer como era antes, não é verdade? Portanto, vejamos alguns desses desafios.

Dificuldade para encontrar mão de obra especializada

Ainda que o cenário seja de crise e de pouco crescimento da economia, os melhores talentos do mercado são disputados pela maioria das empresas. Por isso, a missão de encontrar profissionais com a devida qualificação para ocupar cargos estratégicos não é fácil.

Nesse contexto, com o intuito de resolver o desafio da mão de obra no setor atacadista, a tecnologia tem sido empregada de algumas formas: desde a simplificação do processo de recrutamento e seleção até a implementação de sistemas de treinamento e capacitação.

Por fim, a indústria também conta com processos configurados a partir de softwares especialmente desenvolvidos para o setor. Por meio deles, os gestores conseguem atrair e reter talentos que estejam dispostos a atuar em organizações inovadoras.

Aumento do custo com mão de obra

Como dissemos, a importância de contar com um time altamente qualificado para conseguir competir em um mercado cada dia mais exigente e complexo faz com que as empresas de atacado e distribuição tenham gastos significativos com mão de obra.

Entretanto, a cada dia que passa, as corporações do setor têm percebido que se adotarem as ferramentas certas conseguem reduzir este custo. Ao fazerem uso da automação da força de vendas — que integra os pedidos à logística e ao estoque, por exemplo, a marca se beneficia com a redução do tempo entre a emissão da ordem de venda e a entrega ao cliente.

Por último, mas não menos importante, a integração promovida pelo uso das inovações tecnológicas também contribui para reduzir erros e a necessidade de retrabalho, o que melhora a produtividade dos profissionais. Se eles produzem mais e melhor, você não precisa contratar novos colaboradores!

Alto custo da operação

Atualmente, as estimativas apontam que o modal rodoviário corresponde a 62% do total de volume de cargas transportadas no Brasil, ao passo que somente 21% fazem uso de ferrovias, 13% de hidrovias, 4% de dutoviários e irrisórios 0,1% de transporte aéreo.

Nesse sentido, o motivo principal que leva ao crescimento do volume de cargas transportadas em rodovias está ligado à limitação cada vez maior de infraestrutura dos outros modais. Ainda assim, as estradas também apresentam diversas limitações, como o precário e lento desenvolvimento, se comparado a outros países.

Como consequência disso, o custo da operação, ou Custo Total da Logística (CTL), fica ainda mais alto. É assustador pensar que os valores bases praticados no transporte rodoviário de cargas aumentam, em média, 12% ao ano no Brasil. Esse reajuste se deve a diversos fatores, como:

  • estradas em péssimas condições;
  • preço dos combustíveis;
  • seguros;
  • gerenciamento de riscos;
  • custo da improdutividade;
  • restrições para carga e descarga nos grandes centros urbanos.

Problemas de integração entre setores

Mais um grande desafio que os atacados e distribuidoras enfrentam é a integração entre os setores de vendas, logística, suporte ao cliente etc. Ou seja, a dificuldade é fazer com que haja uma sequência lógica de processos para que atrasos na realização das atividades e falhas no compartilhamento automático de dados não ocorram.

Dessa forma, um bom software de gestão de vendas, por exemplo, aliado a equipamentos dotados de inteligência artificial que coletam dados, resolver isso já é uma realidade perfeitamente viável.

Assim, a boa notícia é que não é mais preciso gastar muito recurso com isso. Se até pouco tempo atrás apenas os megaempreendimentos tinham condições financeiras para este tipo de solução tecnológica, hoje já é admissível implementar inovações oferecidas pela transformação digital.

Por fim, o melhor é que você escolhe se elas ficarão alocadas internamente ou na nuvem, tudo isso com agilidade e eficiência, que cabe no bolso de qualquer empresa.

Dificuldade de aumentar a capacidade produtiva para acompanhar a demanda

Aumentar as vendas no atacado é o sonho de todo empreendedor do ramo. Entretanto, quando se alcança isso, um dos desafios é a dificuldade de escalar a fabricação no mesmo ritmo em que a quantidade de pedidos cresce.

Portanto, a gestão deve ter o cuidado para dar conta da produção quando as vendas aumentam muito. Caso contrário, a marca passará a ser vista como pouco confiável.

Por este motivo, muitos líderes queimam bastante neurônio na tentativa de encontrar uma maneira de produzir satisfatoriamente e com eficiência para atender seus clientes a contento, sem esquecer da qualidade.

Como otimizar processos em distribuição

Otimizar o processo de logística para atacados e distribuidoras em um empreendimento significa reduzir despesas e, consequentemente, melhoria dos resultados e aumento dos lucros.

Entretanto, nesse tipo de negócio, buscar a perfeição dos fluxos não é apenas uma chance de melhorar o desempenho. É da mesma maneira uma iniciativa fundamental que objetiva a manutenção da competitividade da empresa no mercado.

Assim sendo, os sócios e gestores de atacados e distribuidoras devem sempre buscar formas inovadoras de aprimorar suas operações. Confira algumas maneiras de otimizar os processos em distribuição e deixá-los mais eficientes!

Planeje com cuidado

A primeira ação para tornar os processos de qualquer departamento da sua organização mais eficientes e práticos será sempre elaborar um planejamento impecável.

Quando falamos acerca de logística de distribuidora e transporte, as etapas que devem ser planejadas passam pelo recebimento dos itens até a entrega dos produtos aos clientes.

Assim, com o retrato desse fluxo, sua gestão conseguirá identificar os gargalos que fazem o papel de obstáculos para a efetivação dos negócios. Dessa forma, terá a chance de implementar melhorias, como a gestão de entregas, a fim de aumentar a produtividade da indústria.

Faça um mapa

Outra maneira interessante de otimizar os processos em distribuição é criar um mapa para todos os pedidos que a sua marca recebe em um determinado mês. Nesse sentido, insira informações como a identificação do cliente, prazo de entrega, valor da compra e distâncias percorridas.

Quando você visualiza todos os pedidos nesse formato, você tem a grande oportunidade de elaborar esquemas especiais de distribuição para produtos ou clientes mais rentáveis. Da mesma forma, consegue identificar consumidores cujos valores de compra não valem os gastos com a entrega.

Além disso, ter um mapa também contribui para o planejamento de rotas, com a definição adequada dos melhores meios de transporte. Sabemos que no Brasil é mais comum que o transporte rodoviário seja o mais utilizado, mas sempre vale a pena cotar preços e condições de outros modais, como aviões, trens e até mesmo embarcações.

Fortaleça parcerias

Infelizmente é comum que muitas empresas do setor atacadista e distribuidor comprometam a imagem de sua marca e sua reputação apenas por não praticarem uma comunicação adequada com seus fornecedores.

Então, não se dão conta de que qualquer tropeço nos processos de seus parceiros muito provavelmente acarretará em uma falha em seus próprios processos.

Dessa forma, é vital dar uma atenção especial ao alinhamento e à integração das informações com os fornecedores, porque é isso que garante a identificação imediata de qualquer tipo de problema com as entregas. Dito isso, as equipes têm a chance de contornar a situação com ações preventivas.

Portanto, sempre que possível associe os sistemas da sua empresa aos utilizados pelos clientes e fornecedores, de modo a promover a automação dos fluxos e conter os riscos de erros.

Utilize tecnologia de ponta

Os processos de logística de distribuidora ficam muito mais dinâmicos e fluidos quando a empresa opta por implementar soluções inovadoras da tecnologia, como um aplicativo para automação da força de vendas.

Com um sistema de apoio e gestão para atacadistas, você tem a chance de aproveitar funcionalidades específicas, como o acompanhamento de títulos de clientes, gestão de metas, gráficos de evolução de vendas e faturamento dos pedidos; com o objetivo de aprimorar os fluxos de distribuição e logística.

Além disso, o sistema promove a integração de áreas e processos como estoque, compras, vendas, expedição, faturamento e comissões.

Por fim, a utilização da tecnologia de ponta permite, ainda, que você gerencie melhor as informações acerca de seus clientes, integrando-se até mesmo com o comércio virtual.

Certamente, isso facilita a comunicação da logística com os setores de marketing e vendas, um fator indispensável para garantir qualidade na prestação de serviços.

Tenha um painel de controle

Ter o controle de todas as informações pertinentes ao processo de logística e distribuição em um único lugar e em tempo real faz toda a diferença.

Quando os gestores contam com um dashboard que oferece rastreamento e visibilidade de todo o fluxo, conseguem tomar medidas corretivas em questão de poucos minutos.

Isso previne problemas na distribuição que trariam consequências ruins para o relacionamento com os clientes e afetariam negativamente a rentabilidade do negócio.

Quais os resultados obtidos quando se investe em uma boa logística de distribuidora

Qualquer investimento realizado em logística deve ser criteriosamente analisado, uma vez que esse tipo de alocação de recurso não altera diretamente a qualidade do produto final.

Assim sendo, investir no processo logístico tem como principais objetivos o corte de gastos e a otimização das operações. Isso faz do conceito do investimento um paradoxo: gastar dinheiro para cortar algumas despesas.

Entretanto, essa incoerência é só aparente, uma vez que a aquisição de novos veículos e equipamentos, o investimento em tecnologias e galpões contribuem — e muito — para a eficiência e a conquista de bons resultados para o negócio.

Aumento da produtividade

O reflexo da otimização da logística para atacados e distribuidoras é o desempenho das atividades de maneira mais concisa e organizada nas empresas. Por exemplo, com o relatório de vendas é possível gerenciar toda a infraestrutura envolvida na logística com mais eficiência e estruturar melhor suas equipes.

Consequentemente, a operação consegue ser mais produtiva, uma vez que os processos se tornam mais estratégicos e eficazes. Isso é notado sobretudo quando comparamos a indústria que não promove a integração das etapas inerentes à cadeia logística.

Na realidade, a gestão ampliada das atividades auxilia a melhorar a visibilidade por parte dos gestores, o que possibilita ajustes mais precisos e, inevitavelmente, uma produtividade reforçada do setor.

Maior controle das atividades

Talvez este seja o ponto que mereça maior destaque quando há uma otimização do processo de logística.

Atualmente, com o valor estratégico que o setor representa para os negócios, cada vez mais é necessário estabelecer uma gestão completa, com maior controle das atividades e baseada em dados que efetivamente ajudem a empresa a conquistar uma operação eficiente.

Dessa forma, a comunicação entre as diversas áreas envolvidas, por exemplo, simplifica o fluxo das operações, porque ajuda o gestor a entender a cadeia de maneira ampla. Assim, ele tem a chance de promover mudanças e prever suas consequências em diferentes etapas.

Por fim, manter um controle mais profundo também auxilia na identificação de pontos críticos com as oportunidades de realização de melhorias, alocação de recursos ou intervenções mais pontuais. Nesse sentido, os gastos com tais medidas são minimizados.

Redução de gastos

A possibilidade de mensurar e reduzir custos também está entre os principais resultados da organização da logística para atacados e distribuidoras. Trata-se de uma decorrência lógica das várias melhorias promovidas pela otimização das atividades.

Como dissemos, a atuação mais forte da liderança nas ações ajuda a diminuir a incidência de erros, gargalos e falhas em toda a operação, independentemente da etapa em que esses problemas ocorrem. Então, a gestão consegue transitar por todas elas e fazer o devido acompanhamento das atividades.

Um outro aspecto que colabora para enxugar os gastos é a diminuição da necessidade de retrabalho, por todos os motivos já citados acima.

Aumento dos lucros

Com todos esses reflexos positivos nos resultados da empresa, o primeiro que destacamos foi o aumento da produtividade. Isso porque o controle ativo das equipes envolvidas, assim como os equipamentos e processos otimizados envolvidos na cadeia logística, reforçam o rendimento no trabalho e o alcance dos objetivos da organização.

Em outra ponta, é preciso dar destaque ao ganho de competitividade da marca. Afinal, em um cenário empresarial mais truncado como é o ramo atacadista, operar de forma inovadora e eficiente proporciona um diferencial precioso, principalmente, em relação aos destinatários dos serviços e ao mercado e isso significa aumento dos lucros.

Gestão mais estratégica

Um dos grandes benefícios pertinentes a uma logística otimizada é a inteligência na gestão de todas as etapas que a constituem. Normalmente, tarefas como a movimentação, o armazenamento e o transporte exercem um papel mais estratégico a partir do momento em que são controladas de forma integrada.

Atualmente, com o suporte de aplicativos, equipamentos e sistemas de automação, os líderes têm uma visão muito mais ampliada e fiel do funcionamento da empresa.

Isso possibilita que os gestores tomem decisões mais acertadas e conscientes. Porque são consideradas as exatas previsões de demandas da indústria, conforme os dados que são extraídos da análise de indicadores de venda, por exemplo.

Essa realidade é de crucial importância para os processos decisórios e ela vale especialmente para quando estamos em busca de promover mudanças positivas, com a máxima prioridade do aproveitamento das decisões escolhidas.

Nesse sentido, alterações nas dinâmicas das equipes de trabalho, substituição de transportadoras, investimentos em determinadas áreas, entre várias outras iniciativas; ocorrem com mais efetividade. Assim sendo, fica mais fácil garantir os resultados esperados com cada uma das decisões.

Por fim, como foi possível perceber ao longo deste artigo, a otimização da logística para atacados e distribuidoras representa um dos pilares mais fortes dos negócios mais atuais.

Dessa forma, a capacidade de otimizar os processos, somada aos resultados citados, são motivos mais do que suficientes para afirmar que o modelo logístico alia baixos custos, produtividade e qualidade da operação. Certamente, esse é o cenário sonhado por qualquer empresa que atua no ramo atacadista, não é mesmo?

Entendeu como otimizar o processo de logística para atacados e distribuidoras é importante para aumentar a lucratividade do seu negócio? Então, veja também as nossas 6 dicas de como fazer um incrível controle de estoque!

Guia de Automação de vendas do Setor Atacadista DistribuidorPowered by Rock Convert