Twitter
Google plus
Facebook
Vimeo
Pinterest

Fluid Edge Themes

Blog

Home  /  Logística   /  Controle de estoque em atacados e distribuidoras: 6 dicas práticas
controle de estoque em atacados e distribuidoras

Controle de estoque em atacados e distribuidoras: 6 dicas práticas

O controle de estoque em atacados e distribuidoras é essencial para evitar erros que possam comprometer o negócio e sua eficiência empresarial, pois eles podem culminar em prejuízos. A prática, portanto, ajuda a reduzir custos e perdas de produtos, afetando assim diretamente a lucratividade da empresa.

Controlar a armazenagem é a melhor forma de manter os produtos nos locais corretos, gerir as quantidades, saber o tempo preciso para encomendar mais itens etc. Diante disso, é imprescindível buscar maneiras de conseguir efetuar uma administração eficiente.

Portanto, separamos neste artigo as 6 principais dicas para ajudar você e sua empresa a otimizar o processo de controle de estoque. Para saber, basta continuar acompanhando abaixo. Vamos lá?

1. Defina controles de estoque

Para que a gestão do seu estoque seja benfeita, é necessário verificar a melhor forma de realizar tal administração, sendo preciso levar em conta as seguintes classificações:

Permanente

No controle permanente, é possível analisar tudo em tempo real, prevendo a reposição assim que um produto chega em seu valor mínimo atingido no estoque.

Periódica

Já o controle periódico é usado para evitar a falta do produto servindo como um complemento da gestão de armazenamento.

Após isso, é importante mensurar a divisão do estoque:

Físico

Aqui é feito um acompanhamento em relação à quantidade.

Custos

Baseado nos valores dos produtos.

A partir daí, você poderá especificar qual modelo de gestão vai querer utilizar. Os três mais comuns são:

  1. Mínimo: é feita uma divisão principal e uma em reserva, tendo como finalidade evitar prejuízo no giro das categorias de produtos;
  2. Renovação periódica: trabalha-se com a demanda mínima até a próxima reposição;
  3. Fim específico: ocorre por uma necessidade fixada já inicialmente, por exemplo, promoções.

2. Planeje a compra de acordo com o histórico e demanda

É importante lembrar sempre que estoque parado é dinheiro perdido. Por isso, é extremamente relevante que ele tenha a quantidade de produtos mais próxima o possível da quantidade da demanda e mais um pouco para prevenir.

A sazonalidade, por exemplo, é um fator que deve ser levado em conta todas as vezes que for feito o pedido de novos produtos, pois pode interferir muito em suas vendas.

Por isso, faça uma análise de anos anteriores com a projeção de crescimento de cada categoria, porque, assim, a chance de você ficar com produtos parados ou com a falta deles será bem menor.

3. Registre todas as movimentações

Sim, pode parecer um trabalho um tanto quanto “chato”, mas é muito relevante para que o controle esteja sempre atualizado. Registrar as movimentações permite com que seja possível lidar com possíveis acontecimentos inesperados ou com um bom relatório no final do mês, que servirá para ajudar em insights para ações, por exemplo.

O registro também engloba o cadastro de todos os códigos de barras e nisso deve haver especificações básicas dos produtos (essenciais para mercadorias parecidas que possuam pequena diferença entre si).

Na descrição dos itens, ao registrá-los, é possível adicionar informações como preço, data de aquisição, detalhamento do objeto etc.

4. Utilize um software para auxiliá-lo

A fim de manter informações atualizadas e diminuir a falha humana, a utilização de softwares de controle e gestão de estoque são indispensáveis. Com ele será possível acompanhar os produtos que mais saem, se já é hora de fazer novos pedidos, alterações etc.

Além de ajudar os colaboradores a otimizarem o tempo, a possibilidade de se perder dinheiro com estoque parado ou perda de produtos será reduzida drasticamente. Por isso, não pense duas vezes em investir em um bom software!

5. Ordene bem os produtos

Algo que muitos atacados e distribuidoras pecam é na hora de organizar as mercadorias. Esse é o passo básico para um controle de qualidade, visto que existem fatores essenciais para isso. São eles:

Ordem de saída

Produtos com maior saída devem ser colocados mais perto da porta para que seu transporte seja facilitado assim como sua reposição. Além disso, quando estão posicionados no local estratégico, os funcionários economizam tempo para ser utilizado em outra atividade.

Vencimento

Uma outra forma de guardar os itens em seu estoque é pelo vencimento. Aqueles que possuem a data de validade próxima ou que são perecíveis devem permanecer mais perto da saída, porque é possível ter melhor controle e acessibilidade.

Desse modo, consegue-se aferir se deve realizar uma promoção, por exemplo, para não perder o produto ou para esvaziar o espaço para outros itens.

Tamanho do produto

Se você trabalha com mercadorias que sejam muito grandes, colocá-las ao final do seu estoque pode ser um problema na hora de transportá-las para fora. Por isso, faça um caminho lógico e rápido e que não impeça a passagem de funcionários.

6. Tenha uma equipe qualificada

Seus estoquistas devem ser não só de confiança como também bem-treinados. É extremamente importante que você ofereça treinamentos para que eles estejam aptos a organizar, controlar, contar, retirar e cuidar de todos os produtos dentro do seu espaço.

Além disso, os seus profissionais ainda serão responsáveis por tarefas de extrema importância, como controlar as datas de vencimento, cadastrar os novos itens e dar a baixa nas saídas. Todos esses processos influenciam diretamente na quantidade correta de estoque versus sua contagem.

Existe uma série de formas de conseguir administrar seu estoque, no entanto, mais do que simplesmente querer realizar todas, é muito importante que se certifique de que todas elas estejam sendo bem-executadas para, assim, não haver erros primários.

Viu como o controle de estoque em atacados e distribuidoras é extremamente importante?

No entanto, é essencial estar atento a algumas ações básicas para isso, como definir controles de estoque, planejar a compra de acordo com o histórico de vendas e demanda, registrar todas as movimentações, utilizar um bom software como auxílio, ordenar bem os produtos e, é claro, ter uma equipe qualificada.

Dessa forma, sua empresa conseguirá obter maior organização e redução de custos!

Se você gostou desse artigo, então não deixe de nos seguir nas redes sociais para saber mais dicas e novidades para o seu negócio! Estamos no Facebook, LinkedIn e YouTube.