fbpx
Twitter
Google plus
Facebook
Vimeo
Pinterest

Fluid Edge Themes

Blog

Home  /  Gestão   /  7 indicadores de rentabilidade que sua distribuidora deve acompanhar
indicadores de rentabilidade

7 indicadores de rentabilidade que sua distribuidora deve acompanhar

Você conhece os indicadores de rentabilidade? Para qualquer negócio, é essencial acompanhar os números de retorno. Somente com esses dados é possível avaliar se a empresa está dando certo ou trazendo prejuízos.

Porém, quando se trata do nicho de atacadistas e distribuidores, vale considerar as métricas próprias para o setor, obtendo assim uma avaliação mais alinhada com os objetivos da organização.

Quer entender melhor como isso funciona e os indicadores que você precisa conhecer? Acompanhe o post!

O que são indicadores de rentabilidade?

Os indicadores de rentabilidade são métricas que indicam o retorno alcançado por uma empresa, ou seja, o quanto as atividades estão rendendo. Acompanhar esses índices é essencial para entender se as organizações estão atingindo resultados, se as estratégias estão funcionando ou se é preciso mudar os rumos da corporação.

Com a aplicação das métricas adequadas, os gestores conseguem avaliar a necessidade de corte de custos, saber se é preciso conseguir outros investidores, analisar o fechamento de filiais pouco lucrativas e decidir sobre a compra de novos equipamentos, dentre outras ações. Também é possível ter mais clareza sobre o lucro real da empresa.

Quais são os principais indicadores de rentabilidade?

Há diversos indicadores que podem ser aplicados em distribuidoras e atacadistas. Destacamos aqui os principais para que você possa escolher os mais adequados para o seu negócio.

1. Retorno sobre o ativo

Também conhecido como ROA (Return on Assets), o retorno sobre o ativo mostra a rentabilidade da empresa em relação ao total de ativos que possui. Esses ativos podem ser indicados como os equipamentos, estoque, ações, investimentos, duplicatas etc.

Para as distribuidoras, trata-se de uma métrica muito importante, pois mostra o ganho sobre a venda dos produtos. Essa métrica é obtida dividindo o lucro operacional (encontrado no DRE) pelos ativos totais (indicado no Balanço Patrimonial), multiplicando o valor por 100.

2. EBITDA

O EBITDA mostra a realidade financeira da corporação, e justamente por isso, é um dos índices mais usados. Ele indica os ganhos obtidos por meio das atividades operacionais. Esse índice não considera outros fatores como investimentos financeiros, empréstimos e impostos.

A sigla vem do inglês e pode ser traduzida como lucro antes dos juros, impostos amortizações e depreciações. Trata-se de uma métrica muito útil para avaliar a competitividade da sua distribuidora ou atacadista. Para calcular o EBITDA, some o lucro operacional líquido, as depreciações e as amortizações.

3. Índice de endividamento geral

O índice de endividamento geral deve ser acompanhado cuidadosamente, pois pode indicar os riscos que a empresa corre. Com ele, é possível avaliar se vale mais a pena a locação ou a compra de um equipamento, por exemplo.

Com essa métrica, o administrador consegue definir um limite de endividamento seguro para investir em novas máquinas capazes de aumentar a produtividade, sem que isso seja uma ameaça para as finanças corporativas. Para calcular o índice de endividamento geral, divida o capital de terceiros pelos ativos totais e multiplique o número por 100.

4. Retorno sobre o capital próprio

O retorno sobre o capital próprio mostra a rentabilidade que a empresa alcança sobre os próprios recursos, demonstrando a lucratividade alcançada por meio dos investimentos dos sócios e acionistas.

A métrica evidencia se esse capital foi bem aplicado e trouxe benefícios internos e externos, fortalecendo a marca no mercado. Para saber o valor, basta dividir o lucro líquido pelo patrimônio líquido.

Guia de Automação de vendas do Setor Atacadista DistribuidorPowered by Rock Convert

5. Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é uma métrica importante para qualquer negócio. Ela indica o quanto você deve vender para que a empresa não perca dinheiro durante um determinado período. Para o cálculo, é necessário somar todas as despesas fixas e dividir o valor pela margem de contribuição.

Entender o ponto de equilíbrio é essencial para definir uma meta mínima de vendas para o mês, evitando que a empresa fique no vermelho. Vale reforçar que o objetivo é ultrapassar esse ponto, a fim de alcançar um lucro significativo.

6. Índice de ativos

O índice de ativos demonstra a rentabilidade do ativo, independentemente da origem do recurso. Para esse cálculo, basta multiplicar o valor do lucro líquido por 100 e dividir o número pelo valor do ativo.

Enquanto o Return on Assets traz um cálculo de quanto os ativos, no total, estão gerando para a empresa, o Índice de Ativos mostra a rentabilidade de cada um.

Também é possível calcular o giro de um ativo, dividindo a receita pelo total do ativo. O resultado mostra o retorno sobre cada real aplicado.

7. Índice de margem operacional e líquida

Para as distribuidoras e atacadistas, o índice de margem operacional e líquida é um dos indicadores mais importantes. Ele mostra os ganhos da empresa sobre a venda dos produtos e pode levar dois pontos como base para o cálculo:

  • a margem operacional;
  • a margem líquida.

Para o cálculo da margem operacional, são desprezadas as despesas pagas pela empresa. O valor traz o lucro geral sobre a venda de cada unidade de produto que estava no estoque.

Para esse caso, a conta realizada é a seguinte: divide-se o lucro operacional pela receita líquida de vendas, e o valor é multiplicado por 100.

Já no cálculo da margem líquida, é necessário deduzir os valores das despesas (incluindo impostos) para ter o lucro real. A margem líquida é obtida dividindo o lucro líquido pela receita total, multiplicando o valor por 100.

Como a tecnologia pode ajudar?

Com um bom software de apoio, é possível ter o valor exato de vendas e obter relatórios de desempenho precisos. Essas informações são usadas como referência para o cálculo dos indicadores e trazem uma visão muito clara da realidade da empresa, ajudando na tomada de decisões.

Dificilmente você terá um registro preciso e em tempo hábil com o controle feito à mão, ou com ferramentas que não possam ser integradas para a obtenção de outros números.

A tecnologia está ao nosso alcance para oferecer mais eficiência e precisão em diversos processos. Quando se trata de números tão sensíveis, não há por que ignorar a capacidade dessas ferramentas e negar os benefícios que elas podem trazer.

Ficou mais claro quais são os principais indicadores de rentabilidade que podem ser aplicados na sua empresa? Ter um controle cuidadoso desses elementos é a melhor maneira de prevenir situações que possam comprometer a saúde financeira do negócio. Além disso, você consegue tomar decisões mais embasadas, o que permite aumentar sua competitividade no ramo atacadista e de distribuição.

Aproveite para compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais, de forma que mais pessoas tenham acesso a essas informações!

Melhor força de vendas.Powered by Rock Convert
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!