Twitter
Google plus
Facebook
Vimeo
Pinterest

Fluid Edge Themes

Blog

Home  /  Gestão   /  Guia completo: saiba como fazer a gestão da cadeia de suprimentos do seu negócio
Guia completo: saiba como fazer a gestão da cadeia de suprimentos do seu negócio

Guia completo: saiba como fazer a gestão da cadeia de suprimentos do seu negócio

Se você precisa lidar com fornecedores, entregas, pedidos e atividades relacionadas ao setor de distribuidores, atacadistas e indústrias, você necessita de uma cadeia de suprimentos totalmente estruturada, organizada e alinhada aos demais departamentos do negócio, principalmente o logístico, que está diretamente ligado a esse conceito.

Se considerarmos o setor financeiro como o coração da empresa, certamente a sua cadeia de suprimentos seria o cérebro, pois de lá partem informações e dados valiosos, e que impactam o seu processo decisório, atendimento, fidelização e satisfação de clientes e trazem o sucesso ou fracasso de toda a organização.

Essa cadeia também chamada de supply chain é um termo relativamente novo e atualizado, porém os processos de gerenciamento de pedidos, mercadorias e a integração de aspectos internos e externos de uma organização não são nada atuais. Desde a antiguidade, já se considerava a organização de suprimentos, principalmente para vencer guerras.

Neste conteúdo completo, você conhecerá o conceito de cadeia de suprimentos, como se deu o seu surgimento, sua necessidade e importância, bem como melhores práticas de gestão para esse sistema. Acompanhe e use este artigo como o seu guia para uma boa gestão!

Entenda o surgimento da logística e da cadeia de suprimentos

O conceito e a aplicação de cadeia de suprimentos, ou supply chain, está totalmente relacionado à logística como aspecto de gestão, que se deu por volta de 1950. Contudo, o setor logístico de um negócio representa processos e integrações internas, já o supply chain trata sobre questões externas.

Desde a Grécia e Roma Antiga e os tempos do Império Bizantino, uma equipe de militares — denominada como Logistikas, no latim logisticus, que quer dizer raciocínio e cálculo — era encarregada de organizar e garantir todos os suprimentos necessários para a guerra. Com isso, percebemos que os processos logísticos e de suprimentos não são processos recentes.

Mais tarde, no fim da Segunda Guerra Mundial, as empresas começaram a perceber a importância de reservar um departamento que fosse responsável somente pela logística, pois a demanda estava crescendo exponencialmente, ao mesmo tempo em que os consumidores estavam se tornando mais exigentes.

Assim, em meados dos anos 50 e 60, também surgiu a necessidade de se preocupar com a satisfação do cliente, pois percebeu-se que isso impactava o faturamento e a lucratividade.

Com o passar dos anos e com o início da globalização, o termo da cadeia de suprimentos ganhou força, pois era preciso começar a cuidar de uma estratégia que contemplasse processos maiores para uma empresa, que é o de levar o produto de sua origem até o cliente final.

Saiba o que é cadeia de suprimentos

A cadeia de suprimentos é um processo determinante para o desempenho da sua empresa, pois contempla tarefas importantes para outros setores, como o logístico e de estoque. Para entender por que isso acontece e a sua importância, é preciso conhecer o significado desse conceito

Assim, podemos dizer que se trata de toda a rede de operações de uma empresa, que é entendida como um conjunto de procedimentos configurado desde o recebimento e a armazenagem da sua mercadoria até a entrega para o cliente final. E exatamente por abranger diversas etapas e tarefas de uma empresa que é denominada como cadeia.

Além disso, por incluir atividades que afetam diretamente na sua prestação de serviços, a eficiência da sua cadeia de suprimentos influencia na satisfação do cliente e na sua competitividade de mercado.

Isso acontece porque as empresas que têm processos bem estruturados e alinhados de supply chain conseguem mais agilidade na entrega de pedidos, reduzem consideravelmente os gargalos produtivos e ainda evitam muitas perdas e prejuízos. De modo geral, a cadeia de suprimentos representa e integra os seguintes procedimentos:

  • movimentação de produtos;
  • gestão de estoque;
  • logística;
  • suporte;
  • armazenamento;
  • distribuição;
  • transformação de embalagens;
  • processos de compras.

Um dos setores que deve estar diretamente associado e trabalhando em conjunto com a sua cadeia de suprimentos é o setor de distribuição. Diversos problemas logísticos podem ser eliminados e evitados quando há integração entre todas as atividades anteriores à entrega.

Em outras palavras, se houver erro nas compras, os pedidos são prejudicados e, consequentemente, a entrega e a satisfação do cliente.

Compreenda a importância desse conceito

No final das contas, a cadeia de suprimentos busca a satisfação dos comprados e a eficiência dos processos internos e externos. Quando as empresas começam a apresentar falhas e gargalos produtivos que estejam afetando a agilidade e a qualidade das entregas e produtos, vão logo procurando por problemas na gestão financeira ou na produtividade dos colaboradores.

No entanto, nem sempre o problema está aí. Muitos dos erros podem ser percebidos em negócios que tratam os setores de maneira isolada e não integrada. Como dito, um setor precisa conversar com o outro, sendo que esse é exatamente um dos embasamentos do supply chain. Ou seja, a troca de informações reais e atualizadas de outras atividades que impactam a logística da organização.

É fato irrefutável que os hábitos de consumo, os meios de compras e as exigências dos consumidores mudaram muito com o passar dos anos. Hoje, o comprador avalia muito mais do que somente o preço de um serviço ou de um produto — analisa também um conjunto de fatores, como agilidade, atendimento e inovação dos serviços e mercadorias disponíveis.

Com isso, podemos dizer que o público está cada vez mais crítico e seletivo, pois é preciso que as empresas se esforcem muito mais para satisfazê-lo e fidelizá-lo. Isso cria a necessidade de os negócios passarem por atualizações, para reinventarem os seus métodos e implantarem estratégias mais produtivas e ágeis.

Um exemplo claro e prático dessas mudanças é a utilização das plataformas de vendas. Essa inovação surgiu pela necessidade de agilizar todo o procedimento de um pedido, pois já não há mais tempo de ir até a distribuidora ou atacado, conversar com um atendente, andar pelos longos e intermináveis corredores até encontrar o que se deseja.

Com poucos cliques, o cliente estuda todas as características de um produto, escolhe a forma de pagamento e a data da entrega, além de poder acompanhar todo o processamento do pedido e o andamento da solicitação.

O que queremos dizer com isso é que a cadeia de suprimentos é um sistema de gerenciamento que não pode mais ser ignorado, pois é preciso integrar as informações de todos os departamentos de uma empresa, para que todo o processo, desde a negociação com fornecedores até a entrega para o comprador, seja eficiente e feita por meio do tratamento de dados.

Para visualizar melhor a importância desse conceito, confira, a seguir, quais são os benefícios de uma cadeia de suprimentos organizada, bem estruturada e alinhada às finanças, serviços e bens do negócio. Veja só!

Otimização da produção

É incessante e faz parte da rotina de qualquer modelo de empresa buscar maneiras de aumentar a produtividade e otimizar a produção, ao mesmo tempo em que mantém ou eleva a qualidade dos serviços. Essa preservação da qualidade é essencial para os seus clientes, considerando que alguns negócios, na tentativa de diminuir custos, acabam afetando negativamente a eficiência de produtos e da prestação de serviços.

No entanto, quando uma cadeia de suprimentos é gerenciada adequadamente, você garante melhor controle de todas as etapas, internas e externas, que envolvem a sua produção, sendo que isso, consequentemente, proporciona melhores resultados.

Assim, certamente os prazos de entrega serão cumpridos, que é um fator-chave para a satisfação de compradores e para a competitividade de mercado.

Inovação empresarial

A inovação comercial tem papel importante em estratégias de inteligência comercial. Como dito, os hábitos de consumo mudaram exponencialmente com o passar dos anos, pois foram surgindo tecnologias e novos meios de negócios.

Para que a sua empresa tenha a capacidade de acompanhar esse meio digital, é imprescindível que você tenha o conceito de inovação no seu vocabulário. Contudo, não basta investir aleatoriamente em tecnologias que, talvez, não sejam funcionais para as características e necessidades do seu negócio.

Nesse cenário, quando um negócio conta com uma supply chain organizada e com processos integrados, poderá fazer uma avaliação fiel de todo o processo produtivo, incluindo o controle de vendas, de modo que identifique dificuldades que possam ser aperfeiçoadas, ou que já foi ultrapassado.

É importante ressaltar que, a inovação e investimentos em processos automatizados não são mero conforto ou luxo para as organizações, mas sim um fator que o faz sobreviver a crises, reduzir custos, otimizar o seu tempo e a sobrevivência no mercado.

Aperfeiçoamento logístico

Por estar diretamente interligada à logística de uma empresa, a cadeia de suprimentos bem gerida e organizada aperfeiçoa os processos de entrega, que vai desde o pedido do comprador e do controle de mercadorias até a entrega dos produtos para o cliente.

Então, ao estruturar esse sistema de gerenciamento, os processos anteriores ao logístico são aperfeiçoados e mais bem desempenhados, permitindo que, ao chegar na fase da logística, falhas provenientes de erros no armazenamento ou no pedido influenciem a entrega.

Redução de custos

Gestores dormem e acordam pensando e sonhando onde é possível reduzir custos em uma empresa, não é mesmo? Porém, apesar de ser um desejo, é também um grande desafio, pois qualquer estratégia ou decisão tomada precipitadamente pode gerar prejuízos imensuráveis.

Entretanto, se você conhece todas as suas etapas, porque adota as metodologias da cadeia de suprimentos, terá total domínio de todas as atividades do negócio, permitindo que identifique exatamente onde há gargalos e desperdícios.

Conheça quais são as etapas da cadeia de suprimentos

Para estruturar a sua cadeia de suprimentos é preciso conhecer os seus processos e etapas. Afinal, será a partir de cada fase que você embasará todas as atividades da sua empresa. Entenda quais são elas.

Primeira etapa

Dissemos que a supply chain contempla procedimentos externos à sua empresa, certo? É exatamente na primeira etapa que esse aspecto é percebido, pois é caracterizado pelo seu fornecedor de matéria-prima. Também chamado de produtor, o fornecedor pode ser dividido por três tipos:

  • produtor real: processo de fabricação;
  • produtor aparente: apenas representa uma marca;
  • fornecedor presumido: produtor que importa uma mercadoria e a vende sem identificação.

Em razão dessa relação direta com os processos da sua empresa, é fator primário que se tenha um bom relacionamento com os fornecedores e se faça uma gestão adequada para que encontre os melhores. Assim você terá melhores prazos, preços e condições de pagamentos.

Em contrapartida, uma relação deficiente entre o produtor e a sua empresa resultará em falhas desde o setor financeiro até o logístico, pois você obterá preços insustentáveis, o recebimento de produtos danificados, erros nos pedidos e até produtos de má qualidade. Fatores esses que impactam a satisfação do cliente.

Segunda etapa

Caracterizada pelo trabalho das indústrias, é na segunda etapa que o trabalho do fabricante é feito. Esse setor que teve origem durante a Primeira Revolução Industrial, contempla três figuras;

  • indústria de base: responsável pelo processamento da matéria-bruta;
  • indústria de bens intermediários: disponibiliza equipamentos e máquinas;
  • indústria de bens de consumo: engloba todos os bens não-duráveis, duráveis e semi-duráveis.

Terceira etapa

Representada pelo distribuidor, a terceira etapa é entendida como a logística de distribuição do negócio, pois envolve a movimentação de mercadorias e o manuseio de cargas para os pontos de venda ou endereço do comprador.

É importante saber distinguir os dois processos, já que a movimentação é conceituada pela operação de transporte e entrega, enquanto a distribuição é o processo de intermediação do produto. Aqui, é onde os atacadistas e distribuidores fazem a reposição de suprimentos do varejo.

Quarta etapa

Etapa marcada pela atuação do varejo, que recebe a mercadoria em pequenas quantidades para a comercialização nas cidades. Para que o varejista ofereça produtos de qualidade, precisará contar com atacados, distribuidores e indústrias que tenham uma boa gestão da cadeia de suprimentos, pois, caso contrário, os produtos chegarão danificados ou fora de prazo.

Confira 7 dicas de gestão para supply chain

Agora que já sabe os benefícios de gerir adequadamente a sua cadeia de suprimentos e conhece suas etapas, é o momento de colocar as mãos na massa. Para ter uma gestão de processos que resulte em qualidade, bom preço e agilidade para o seu cliente, atente-se às dicas a seguir.

1. Tenha um bom planejamento

Qualquer tipo de processo, nova estratégia ou processo decisório deve ser precedido por um bom planejamento. Muitas vezes, o gestor tem ótimas ideias, mas acaba “colocando o carro na frente dos bois” e não estabelece as etapas de implantação.

Isso se faz necessário porque é preciso organizar os setores para o sistema de trabalho, estruturar todas as tarefas e, o mais importante, conversar com a sua equipe para que entendam o motivo da mudança e tente engajar os funcionários a seu time.

Aliás, é importante ressaltar que nenhum tipo de atividade ou plano estratégico terá sucesso se você não puder contar com a sua equipe. Esse é um dos primeiros desafios encontrados na implantação e no gerenciamento da supply chain, pois muitos negócios não tratam os colaboradores como parte do alicerce da empresa, o que os torna desmotivados e sem nenhum tipo de interesse para se adequarem a novos processos.

Portanto, elabore um planejamento e uma lista de ações que inclua melhorar o relacionamento com compradores e fornecedores, conheça todos os processos da empresa e tenha pelo menos um software que permita o acesso a informações reais e atualizadas.

2. Faça um mapeamento

Para ter domínio sobre as atividades da empresa, é preciso fazer o mapeamento de processos. Isso é necessário porque a cadeia de suprimentos requer estratégias de gestão bem alinhada e que inclui o controle de materiais e o mapeamento de processo.

Como dito, o método de supply chain prevê a integração e total controle de setores, portanto, será preciso mapeá-los para ter domínio sobre a sua produção. Com isso, ele terá uma visão ampla e não isolada, dos desperdícios que podem estar acontecendo e das falhas produtivas, para que possa encontrar maneiras de evitá-las ou eliminá-las.

3. Aposte em um bom relacionamento com os fornecedores

Não são somente os seus serviços que impactam a satisfação e fidelização dos clientes, mas também seus fornecedores. Para ter um bom relacionamento e garantir que a política de trabalho dos seus parceiros esteja de acordo com as suas necessidades, é preciso manter uma comunicação clara e bem franca.

Apesar de representarem as primeiras etapas da sua cadeia de suprimentos e de logística, os fornecedores precisam atender o seu modo produtivo, o que é inviável em empresas que não têm boa relação com essa peça tão importante para qualquer tipo de organização.

Não tenha receio de expor as suas condições, os prazos que precisa respeitar, pois caso um fornecedor não o atenda, é válido considerar uma troca.

4. Controle o seu estoque

A supply chain somente se comporta de maneira organizada e estruturada se todos os setores apresentam alinhamento. Nesse contexto, destacamos o seu estoque, pois ele precisa estar de acordo com a capacidade financeira do negócio, com a demanda dos compradores e estrutura da empresa.

Além disso, se a sua reserva de produtos não for bem cuidada, será muito fácil que produtos estraguem ou sejam danificados, que desapareçam do estoque, ou ainda que faltem ou sobrem produtos. Para uma gestão de estoque adequada, é preciso ter o conceito de equilíbrio em mente, considerando que a ausência de mercadorias significa prejuízo, assim como o excesso (estoque parado).

5. Use a tecnologia

Não existe nenhuma maneira ou método eficiente de gerenciar a sua cadeia de suprimentos sem o uso da tecnologia. Aliás, não existem estratégias manuais para cuidar de nenhum departamento de qualquer empresa de forma ágil.

A quantidade de informações e dados que precisam ser acompanhados, a exigência dos clientes e a necessidade de ter processos alinhados para a sua competitividade requerem automatizações. Além disso, não há como integrar setores sem o uso de softwares.

Sendo assim, podemos dizer, de forma tranquila e clara, que o sucesso da sua empresa e do supply chain está diretamente associado ao seu nível de adequação às novas tecnologias. Para exemplificar, ressaltamos a implantação de sistemas que gerencie as tarefas e desempenho da sua equipe, acompanhamento de rotas e acesso a relatórios para o processo decisório.

6. Mensure e acompanhe os resultados

Dificilmente algum modelo de gestão será executado sem que passe por modificações, pois no planejamento, as coisas funcionam de uma maneira, e na prática, de outra. Em vista disso, monitore e analise regularmente os processos e resultados da cadeia de suprimentos.

Com isso, você poderá aprimorar as suas estratégias e terá mais eficiência no processo produtivo e demais departamentos da empresa. No entanto, isso somente será feito de maneira otimizada se tiver acesso à tecnologia.

7. Atente aos riscos e desafios

Como nem tudo são flores em uma empresa, é preciso ter os pés no chão e colocar os desafios e riscos em pauta. Qualquer tipo de processo, estratégia ou método estão sujeitos a falhas.

Quando se conhecem esses riscos, desafios e impedimentos, é possível se antecipar a eles e se preparar de maneira que a empresa não sofra grandes impactos. Dito isso, atente-se às chances de roubos e danos nas cargas, falta e insumos por motivos de força maior e imprevistos que não estão sobre o seu domínio.

Conheça a Ion Sistemas

A Ion Sistemas é uma plataforma que oferece soluções tecnológicas para o setor de distribuidores, atacadistas e indústrias que precisam de mais controle e domínio sobre seus processos. Para isso, entre seus principais produtos, destacam-se:

  • ION Vendas: solução para que o mercado de atacado e distribuição automatize seu processo de vendas, incluindo a emissão de pedidos;
  • ION Rotas: gerenciamento em tempo real de todo o processo de entregas, incluindo a produtividade do seu time de vendas;
  • ION Reports: voltado para a gestão de relatórios e processo decisório da empresa, fornecendo dados reais e atualizados para toda a análise de resultados.

A cadeia de suprimentos é uma metodologia de gestão que reúne muitos processos, pois gerencia todos os setores de bens, serviços, finanças e informações dentro de um negócio. Por isso, somente será eficiente e proporcionará ótimos resultados se a sua empresa contar com departamentos integrados, bem estruturados e que funcionem por meio de tecnologia, e não processos manuais e deficitários.

E, então? Gostou deste guia? Se deseja ter os benefícios de uma boa cadeia de suprimentos, entre em contato conosco agora mesmo e conheça as nossas soluções que se encaixam à sua empresa.